Coceira em cães? Pode ser piolho...

Categoria: Saúde

Autor(a): Patrícia Nuñez Bastos de Souza | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co. | Cidade: Campinas | 27/11/2013 - 14:33

Os piolhos que atingem os cães não passam para o homem e vice-versa
Foto Meramente ilustrativa: Divulgação  Coceira em cães? Pode ser piolho...

Foto Meramente ilustrativa: Divulgação Coceira em cães? Pode ser piolho...

Muitos proprietários não sabem, mas os cães também podem ser acometidos por piolhos. Não o mesmo piolho que seu filho pode pegar na escola. Na verdade, os piolhos são espécies específicas, ou seja, eles têm predileção quanto à espécie que parasitam, desse modo, os piolhos que atingem os cães não passam para o homem e vice-versa. Assim como o dos gatos e de outras espécies de animais.

Piolhos são insetos que não possuem asas. Podem ser vistos a olho nu, portanto, o diagnóstico é visual e pode ser feito na consulta normal. A infestação por piolhos é chamada de pediculose. Os piolhos podem causar coceira, queda de pelos e dermatites. Há duas espécies de piolhos: os sugadores, que se alimentam de sangue e, em caso de um grande número de parasitas, eles podem causar anemias graves; e os mastigadores, que se alimentam de restos celulares e descamações da própria pele e pelos.

Os piolhos são transmitidos por contato direto, isto é, através de contato com cães parasitados e ao contrário do que algumas pessoas pensam, “eles não vêm pelo ar”. Podem ainda ser transmitidos por objetos de uso comum, como escovas, toalhas e caminhas de dormir.

Animais muito parasitados podem exalar um odor forte característico, mas isso não é uma constante. Podem se apresentar também muito irritados e inquietos devido ao grande desconforto causado pela coceira. Felizmente, a presença destes indesejáveis habitantes da pele canina não é muito comum, sendo mais frequentes em cães que vivem em más condições de higiene, em abrigos onde há superlotação de animais ou ainda em animais resgatados na rua que estão debilitados.

Apesar de se tratar de um assunto desagradável, o tratamento para a pediculose é bem simples e eficaz. Existem drogas de uso tópico, como o Fipronil ou xampus à base de piretróides e outras substâncias inseticidas. No homem e também nos cães pode-se usar ainda a Ivermectina, mas esta não pode ser aplicada em todos os casos, dependendo da raça.

Durante o tratamento é recomendável que camas e tapetes dos cães sejam retirados para não haver possibilidade de reinfestação e os mesmos devem ser devidamente higienizados. Podem ser necessárias mais de uma aplicação de medicamentos, pois nem todos destroem as larvas e os ovos dos piolhos.

Bom, se você, leitor da Cães Amigos, já está se coçando devido ao assunto, não se preocupe, pois como foi dito no início os piolhos dos animais não são transmitidos para a gente. Na dúvida, se seu cão estiver se coçando, leve-o ao veterinário, para que ele possa se ver livre deste desconforto o mais rápido possível.

Dra. Patrícia Nuñez Bastos de Souza, médica veterinária.
e-mail: patriciaveterinaria@gmail.com