“Cheiros” de cães e gatos

Categoria: Comportamento

Autor(a): Luciana Deschamps | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co. | Cidade: Campinas | 21/11/2013 - 15:19

Saiba porque cães e gatos possuem diferentes odores e como evitar uns cheirinhos desagradáveis em sua casa
Foto Meramente ilustrativa: Divulgação “Cheiros” de cães e gatos

Foto Meramente ilustrativa: Divulgação “Cheiros” de cães e gatos

Gatos são, por excelência, animais muito limpos. Passam boa parte do dia se lavando e cuidando do seu pelo. Sua língua foi feita para isso, pois é coberta de papilas que agem como um pente, eliminando sujeiras, pelos mortos, poeira etc.
Além de se limparem, não suportam pisar em locais molhados, evitando, também, pisarem na urina e fezes. Gatos de apartamento e de pelo curto não precisam tomar banho. Se ele tiver acesso ao jardim, pode, em casa, fazer um banho seco, eventualmente.
Se o pelo do gato for longo, deve-se fazer a escovação, no mínimo, duas vezes por semana, para eliminar os nós e pelos mortos. Se o pelo fizer nó facilmente, ele pode tomar banho a cada 45 dias, caso contrário, a cada dois meses, é mais do que suficiente.
Procure manter as caixas higiênicas sempre limpas, para que não exalem cheiro algum. Se a casa está com cheiro ruim, a culpa não é do gato, é do dono, que não fez a limpeza diária das caixas.
Na espécie felina, existem os gatos braquiocefálicos (como Persas e Exóticos), que tendem a apresentar um bloqueio no canal lacrimal, causando lacrimejamento e, em alguns casos, aparecendo uma secreção escura , que ocorre por causa da oxidação dos componentes da lágrima, quando entra em contato com o ar, provocando um odor característico.
Em sua rotina, os felinos se limpam durante uma boa parte do dia, para não deixar vestígios de comida e cheiro em seu pelo. É fundamental lavar muito bem os seus utensílios, como banheiros, pratos e bebedouros. Eles são exigentes por natureza, por isso precisamos entender suas necessidades.
Lave sempre todos os seus pertences com detergente de louça neutro, e se quiser, no final, com água quente. Gatos são tão cuidadosos, que fazem questão de esconder suas fezes e urina, evitando que o cheiro sinalize sua presença.

Cheiro em cães
Em geral, leitor da Cães Amigos, os cães que exalam um odor mais forte são os de focinho achatado e também os cães com rugas, entre eles, o Sharpei, o Pug e o Buldogue. O cheiro, normalmente, vem de fungos ou bactérias que se acumulam nas rugas; assim, a ventilacão fica comprometida e o cheiro se torna muito forte. Sendo assim, é preciso que a higiene seja redobrada. O odor pode ocorrer também, por falta ou excesso de banho. O ideal é dar banho no cão uma vez por semana e ter cuidados para que a secagem seja feita adequadamente, caso contrário, podem ocorrer doenças dermatológicas, causando inflamação e odor fétido.
Banhos com intervalos maiores causam cheiro forte no animal. É necessário, também, avaliar, com uma certa frequência, os dentes do seu cão, pois também podem exalar cheiro forte, deixando, quando se lambe, um odor  no pelo, além de deixar esse mesmo cheiro no local em que se deita e se esfrega. Então é preciso ter cuidado, pois além do cheiro forte, doenças periodontais levam a problemas sérios de saúde. Vale lembrar, leirores da Cães Amigos, que cães passeiam diariamente pela rua, podendo, também, se sujar mais facilmente.
Quando retornar de cada passeio, passe um lenço higiênico em suas patas. A pele dos cães é dotada de glândulas sebáceas e sudoríparas, que são divididas em apócrinas e exócrenas. Para alguns pesquisadores e estudiosos em cães, as apócrinas são encontradas por todo corpo e são responsáveis pela produção de uma substância que, quando decomposta pela ação de bactérias, exala o famoso “cheiro de cachorro”.

Sendo assim, cada espécie tem suas características próprias, e, para lidar com a questão de odores fortes, basta ter um pouco de conhecimento sobre a espécie que você adotou e seguir regras básicas de higiene, e o problema, certamente, será minimizado.
Se o dono do gato perceber que ele está exalando algum odor desagradável, deve levá-lo ao veterinário com urgência, a fim de identificar a causa.

Luciana Deschamps é médica veterinária especialista em felinos, Bacharel em Filosofia e Titular da Clínica Veterinária Sr. Gato
www.clinicasrgato.com.br